A Menopausa

A Menopausa

Normalmente a menopausa é definida como o fim das menstruações e das funções dos ovários, isto é, o fim do período da fecundidade da mulher.
Tradicionalmente a menopausa tem uma conotação negativa na sociedade, que a vê como um tempo de envelhecimento, temido por todas as mulheres.
Se reflectirmos sobre ela, vamos concluir que, contrariamente, deverá ser uma época em que a mulher vai viver os seus tempos mais tranquilos, sem sobressaltos de gravidez, sem preocupações com a contracepção e sem dores menstruais.

Ocorre normalmente entre os 48 e os 55 anos e é uma fase caracterizada por uma diminuição de estrogénios e progesterona. É a lenta diminuição destes níveis que provoca a maioria dos sintomas físicos e psicológicos que afectam a mulher durante este período.
A menopausa não aparece repentinamente (excepto nos casos de menopausa cirúrgica – ablação dos ovários), instala-se gradualmente para permitir ao organismo uma adaptação às mudanças hormonais.

Sintomas da Menopausa

Os sinais e sintomas da menopausa são individuais e variados: calores súbitos, depressão, alterações psicológicas, suores nocturnos, perturbações do sono, secura vaginal, infecções urinárias, palpitações, aumento de peso, hipertensão, colesterol e osteoporose.

Afrontamentos

Estes são pequenos períodos em que a mulher subitamente fica muito vermelha, cheia de calor e começa a transpirar. Este calor pode durar alguns minutos e pode repetir-se várias vezes ao longo do dia e da noite. Ocorrem geralmente por fases e podem também estar relacionados com o stress e excitação.
Os afrontamentos podem ser acompanhados por palpitações e algumas vezes seguidos por pequenos arrepios de frio.
Também acontece surgirem em simultâneo náuseas ou uma sensação de cansaço.

Suores nocturnos

Não são de forma nenhuma prejudiciais mas muito aborrecidos. Muitas vezes, fazem com que se interrompa e se perca o sono com uma sensação de muito cansaço.

Dores de cabeça

Algumas mulheres têm muito mais dores de cabeça durante o período de menopausa, no entanto não está necessariamente relacionado com a baixa de hormonas. Podem resultar de cansaço e/ou stresse generalizado.

Osteoporose

A osteoporose caracteriza-se por uma perda de massa óssea que pode acarretar fracturas, dores nas costas, deformações, etc. É um problema que afecta principalmente as mulheres (a massa óssea nos homens é superior 30%).

O risco de osteoporose cresce com a idade e afecta 25% das mulheres em pré e menopausa. A deficiência em estrogénios é a causa principal da osteoporose nas mulheres em fase de menopausa. Outras causas existem, porém da osteoporose: intolerância à lactose, insuficiência ou deficiente absorção intestinal do cálcio, desequilíbrio na relação cálcio/fósforo, falta de exercício, etc.
As modificações hormonais que acompanham a menopausa reflectem-se ao nível de todo o organismo mas neste caso provocam uma fragilidade óssea causada pela deficiente fixação do cálcio e outros sais minerais. O trama ósseo perde a densidade pela falta dos sais minerais e vai-se agravando com a idade.

Uma mulher que nesta fase não tenha um suplemento especial em sais minerais arrisca-se a perder 45% da massa óssea.

Os nutricionistas recomendam doses de pelo menos 1.500mg por dia a partir da fase de pré-menopausa. Oras estudos alimentares ocidentais demonstram que a alimentação não fornece mais do 500 mg/dia. A deficiência é grande e apenas será resolvida pela utilização de complementos nutricionais que associem o cálcio de origem vegetal, flúor, magnésio ou sílica em preparações bioassimiláveis.

É também importante uma exposição ao sol que permite a síntese da Vitamina D, o exercício físico, e uma alimentação que privilegie cereais integrais, fruta, legumes e produtos lácteos.
O uso de diuréticos agravam a fixação do cálcio, por isso é preciso muito cuidado na sua utilização. O café quando consumido em excesso é um factor de perda de cálcio. O uso de corticóides ou anticoagulantes também agravam a situação.

Secura vaginal

Nesta fase, a mulher pode sofrer de secura vaginal. Esta sensação é mais frequente porque o líquido vaginal fica menos espesso e a vagina menos lubrificada. Pode-se tornar bastante doloroso especialmente depois das relações sexuais.

Alterações de humor, irritabilidade e depressão

Estes sintomas não são perigosos, mas podem afectar seriamente a qualidade de vida da mulher.

Aumento das probabilidades de doenças cardíacas

Antes da menopausa, a mulher tem muito menos problemas cardiovasculares que o homem. Quando os níveis de estrogénio começam a descer, o risco de aumentar a probabilidade destas doenças na mulher é maior.

Tratamento

Optando por um tratamento à base de produtos naturais, para além de estar a equilibrar o seu organismo em termos de deficiências inerentes à menopausa, a mulher beneficia de todos os outros nutrientes necessários ao organismo para alcançar o bem-estar em qualquer período da vida.

Neste campo existem inúmeras opções para equilibrar esta falha em estrogénios. As isoflavonas, por exemplo, apresentam-se em duas formas – activa e inactiva. As isoflavonas activas têm características de imitar os estrogénios humanos (hormona feminina), interligando todos os receptores do corpo. Como resultado as isoflavonas fornecem um equilíbrio em estrogénios ao organismo.

De facto, existem inúmeras publicações sobre investigação dos benefícios das isoflavonas de soja e o papel importante que podem significar para a saúde da mulher, na juventude, na gestação, no parto, na menopausa e ao longo de toda a sua vida.

Para além das isoflavonas, existem uma série de nutrientes e plantas, necessários à mulher para ultrapassar esta nova etapa da vida.

Comentários

Comentários

Translate »